Black Lives Matter’ é luta cravada nas chuteiras

by | Out 15, 2020 | Black LIves Matter in Football

Foto: Helena Valente - ASF

Reggie Cannon esclareceu o que tinha ficado por esclarecer quando criticou os adeptos do Dallas que apuparam a equipa quando os jogadores se ajoelharam num protesto associado ao movimento Black Lives Matter, na sequência dos episódios de absurda violência policial nos Estados Unidos. Na altura, o lateral-direito confessou-se «enojado» com o que vira e foi trucidado nas redes sociais. «Foi algo muito infeliz e triste. Foi frustrante assistir a tamanhos comportamentos.

Ameaçaram que me matavam, que me linchavam, que matavam a minha família. Foi terrível. O clube disse que estava solidário comigo, mas nada disso foi verdade. Eu tinha uma entrevista que saiu agora, que explica isso mesmo. Pediram-me para fazer um pedido de desculpa aos adeptos, que recusei. A entrevista não foi publicada logo, porque estava iminente a saída para Portugal. Se saísse, iam cancelar a transferência. Tive de gerir para não sacrificar o meu futuro no Boavista», conta Reggie Cannon, que carrega a combativa expressão Black Lives Matter nas chuteiras. «O abuso policial está à vista, é duro e não me posso calar», regista o defesa, que vive em Portugal a incerteza de qual será a liderança dos Estados Unidos da América.

Em Portugal vive o embaraço por quem comanda o seu país: «Temos um presidente horrível e é necessária uma mudança. Tenho colegas que me questionam como é possível termos um líder como Trump. O Yusupha e o Nuno Santos, profundamente incrédulos. Mas a melhor conversa foi com o Angel Gomes. Ficámos algum tempo a pensar como é que há gente no mundo que apoia um supremacista branco!»